Sinto falta…

23 09 2014

Turma 2007

Hoje acordei no meio da noite,
Despertado por um sonho incomum (incomum por fugir dos sonhos loucos da semana, mas sempre o passado cobra saudade dessa forma)
Mais uma vez sonhei com meus amigos da escola,
Amigos esses que compartilharam momentos importantes da minha vida,
E tenho certeza que eu também da vida deles,
E como flash do filme “Eu sei que você fez fez no verão passado”,
A memoria foi me fazendo relembrar de cada um,
De cada momento,
De cada fase,
Mesmo relutando com o sono para que ele  voltasse,
A mente me inquietava para levantar,
Mas são quatro horas da manha?
Isso è hora de ter saudade?
  Talvez sim, talvez não!
A saudade  não tem escrúpulos,
Chega na hora em que menos esperamos,
Um gesto, alguém,
Um comportamento, enfim.
Ja que a mente  não se acalma para descansar que seria o certo,
Decidir levantar, tomar uma água,
E voltar para cama,
Talvez poderia escrever sobre,
mas o lado preguiçoso, já colocava desculpas,
Antes mesmo de concretizar o ato,
E nem saberia onde deixei o óculos na noite passada,
Mas decidir da mesma forma,
Mesmo com a consciência cobrando com seu grau de moralidade,
vai escrever sobre saudade?
Amanha vc irá apresentar um Grupo de Trabalho em um evento,
Ja que não quer escrever sobre o Gt, vai escrever sobre sua pesquisa de mestrado,

Resistir,
E decidi escrever sobre saudades,
(as vezes chego a imaginar que os escritores como Carlos Drummond, Cecilia Meireles
entre outros escreviam para extrair o dragão da saudade, do amor reprimido, correspondido ou não que existiam dentro deles)
Enfim, vamos falar sobre o sonho e as lembranças,
No sonho estava na escola,
Sentado no mesmo lugar que sentei praticamente a vida toda ( rsrs)
Com todos amigos em volta,
Em um intervalo de uma aula para outra,
Levantava e ia falar com os amigos que sentavam do outro lado,
Thalita Almeida pessoa meiga e louca kkk
Que sentava na primeira cadeira da primeira fila
Sempre ia ate lá contar uma besteira,
Jefferson Aranha que sentava do lado de lá tbem ( o sonho não respeita o tempo, então ele sempre mistura todos os amigos de todos os anos)
E ao voltar o trio fantástico estava sempre colocando o papo em dia,
Sara Reis, Priscila Railuzy, Jessica Cutrim,
Mas atrás Carolina Almeida, Jessica Cardoso, Milce,
Juliara no seu sono eterno, kkkkkk
Fazia esse trajeto mexendo com Raquel Martins, Fabiane Serejo e
Rosilene (quando digo que o tempo mistura todos os anos)
O sinal tocou,
E sai conversando com Samara Viana,
Era a tarde e mais uma vez iria ficar batendo perna no Coroadinho,
Visitando amigo por amigo.
Sonho sem muito significado,
Mas carregado de lembranças,
Que me entristece por não vê_los mais.
Fui lembrando do tempo de criança,
Conversas, brincadeiras,
Lugares preferidos ( a biblioteca ja era minha paixão)
Um brinquedo especifico no play,
Que era como uma teia de aranha,
Ficava sentado la em cima,
Olhando o movimento
ouvindo o grito estridente
Da professora de Ed. Fisica:
Marivaaaaaaaaaaalll para de fazer isso,
Marivaaaaaalllll não chama esse nome,
(Marival amigo doido que anos mas tard iria ganhar o apelido de Maraba)
Lembrei também dos dias de Ed. Ambiental,
Da horta, do minhocario (das hortaliças que sempre levávamos pra casa)
Os anos foram se passando,
Algumas pessoas foram saindo,
Outras chegando,
  Vínculos sendo feitos,
Professores, mestres que foram nos mostrando o caminho,
Alice, Rosineth, Joana…
Damasceno (Doutores não vou mais pedir silêncio),
Sofia, Eneluce, Luciana (Linda e alta)
Luiz Gonzaga, Darlan, Pedro Neto, Marta
Adelina, Joelson, Prof. Marilia, Prof. Nadja  entre outros,
Por que são muitos,
O Tempo foi passando,
Qd percebemos estávamos estudando a noite,
Pré-vestibular,
Correria+preocupação+cansaço
A visita a biblioteca agora não era mais para visitar os livros de literatura,
E sim para estudar, estudar e estudar…
Amigos com quem compartilhava essas preocupações,
Heyder Beckman, Gilcineia Amaral, Tamiris Fernanda,
Lizandra Regina, Mauricioe mts outros (a lista é enorme)
Sempre nos perguntávamos,
E como será quando terminarmos?
E o terceirão chegou,
Quando pisquei estava,
No baile,
Todos bem bonitos com sua roupa de natal (so a calça e o sapato, por que a camisa foi padronizada),
Estava alegre por terminar,
  Ansioso para saber como seria lá fora,
O medo não era por algo não dar certo,
Mas sim de acontecer,
E aqueles amigos da vida toda  não estarem la para ajudar,
Qd terminou o baile,
Tive que ficar por algum motivo,
E frisei a cena que guardo até hoje,
Tudo vazio, cadeiras desorganizadas,
Assim ficaria meu coração por um bom tempo,
A saudade é assim,
Aperta o coração, e enche os olhos de lágrimas,
Hoje esses amigos estão todos espalhados,
Pai e mães de famílias,
Morando em outro estado,
Trabalhando, outros estudando,
Mas onde eles tiverem,
Que saibam que acordo no meio da noite,
Lembrando de cada um,
Cada brincadeira,
Cada palavra.
Ao terminar de pensar em tudo isso,
Lembrei da musica “hoje o tempo voa amor,
Escorre pelas mãos…”
hoje lembro  que naquele tempo eramos felizes e não sabíamos,
Amanha lembraremos do hoje que somos felizes e não sabemos
Enfim,
Q SEJAMOS FELIZES SEMPRE!
Tudo tem seu tempo…
E assim registro essas palavras..
O despertador tocou cinco horas da manha,
Hoje lhe preguei uma  peça,
Acordei primeiro,
Daqui a pouco,
Tenho que estudar, sair, fazer um monte de coisas
Que não sei se irá dar tempo de fazer tudo,
Talvez não consiga olhar o nascer do sol,
Mas no fim do dia estarei olhando o pôr do sol
Para dizer:
Obrigado Pai por me conceder amigos verdadeiros…

19/09/2014

Edilson Reis

.

Anúncios